Apocalipse

Capítulo: 10

1-4Vi outro Anjo poderoso descendo do céu, envolto numa nuvem. Havia um arco-íris sobre a cabeça dele. Seu rosto brilhava como o Sol, e suas pernas eram como pilares de fogo. Ele tinha um pequeno livro aberto na mão. Então, pôs o pé direito no mar e o pé esquerdo na terra e bradou, feito um trovão, o rugido de um leão. Os Sete Trovões responderam. Quando os Sete Trovões falaram, comecei a escrever, mas uma voz do céu me interrompeu: “Sele os Sete Trovões com o silêncio. Não escreva nem uma palavra”.

5-7Então, o Anjo que eu tinha visto com os pés no mar e na terra levantou a mão direita em direção ao céu e jurou por Aquele Que Vive para Sempre — que criou o céu e tudo que existe nele, a terra e tudo que nela há, o mar e tudo que nele existe — que o tempo estava cumprido. Então, o sétimo Anjo tocaria sua trombeta, e o que ele estava para fazer, o Mistério de Deus, todos os planos que ele tinha revelado aos seus servos, os profetas, seriam executados.

8-11A voz do céu me falou outra vez: “Vá, pegue o livro aberto da mão do Anjo que está sobre o mar e a terra”. Aproximei-me do Anjo e disse: “Dá-me o livrinho”. Ele disse: “Pegue. Pode comer. Vai ser doce como o mel, mas no estômago vai parecer amargo”. Peguei o livrinho da mão do Anjo. De fato, era doce como o mel em minha boca, mas, quando engoli, meu estômago embrulhou. Então, foi-me dito: “Você deve voltar e profetizar de novo a muitos povos, nações, línguas e reis”.