Apocalipse

Capítulo: 4
UMA PORTA PARA O CÉU

1Então olhei e — oh! — uma porta aberta para o céu. A voz de trombeta, a primeira voz na minha visão, me chamou: “Suba e entre. Vou mostrar o que está para acontecer”.

2-6Fui apanhado de uma vez em profunda adoração e, oh! — um trono no céu com Aquele Que Está Assentado no Trono, coberto de pedras preciosas de tom quase transparente e a chama de uma nuvem de esmeralda. Vinte e quatro tronos rodeavam o trono, com os Vinte e Quatro Anciãos sentados neles, com vestes brancas e coroas de ouro. Luzes de relâmpagos e trovões emanavam do trono. Sete tochas flamejantes estavam diante do trono (são os Sete Espíritos de Deus). Em frente ao trono havia como que um límpido mar de cristal.

6-8Caminhando ao redor do trono estavam Quatro Animais, cheios de olhos. Olhos para olhar para a frente, olhos para olhar para trás. O primeiro animal era como um leão, o segundo era como um boi, o terceiro tinha rosto humano e o quarto era como uma águia em voo. Os Quatro Animais eram alados, com seis asas cada um. Eles tinham muitos olhos, vendo ao redor e por dentro, e cantavam noite e dia, sem descanso: Santo, santo, santo É Deus, nosso; Senhor, Poderoso Soberano O Que Foi, Que É e Que Virá.

9-11Cada vez que os Quatro Animais davam glória e honra e ações de graça Àquele Que Está Assentado no Trono — que vive eternamente — Vinte e Quatro Anciãos prostravam-se perante ele. Eles adoravam O Que Vive Eternamente. Então, lançavam suas coroas aos pés do trono, cantando: Digno, ó Senhor! Sim, nosso Deus! Receba a glória! A honra! O poder! Tu criaste todas as coisas Tudo foi criado por tua vontade.