Atos

Capítulo: 8
SIMÃO, O MAGO

1E Saulo estava ali, comemorando com os assassinos.

2Esse fato desencadeou uma perseguição terrível contra a igreja em Jerusalém. Os cristãos, com exceção dos apóstolos, foram todos dispersos pela Judeia e por Samaria. Alguns homens bons e corajosos sepultaram Estêvão, dando a ele um funeral digno. Quase todos choraram naquele dia!

3-8Saulo mostrou-se muito cruel, devastando a igreja, invadindo as casas, levando homens e mulheres para a cadeia. Forçados a deixar seus lares, os seguidores de Jesus se tornaram missionários. Onde quer que se refugiassem, começavam a pregar a Mensagem. Descendo a uma cidade samaritana, Filipe proclamou a Mensagem do Messias. Quando o povo ouviu sua pregação e viu os milagres — claros sinais da ação de Deus —, eles se apegaram a cada palavra. Pessoas que não podiam ficar em pé nem andar foram curadas naquele dia. Os espíritos malignos protestavam e faziam estardalhaço, mas eram expulsos. Houve muita alegria naquela cidade!

9-11Antes da chegada de Filipe, um tal Simão costumava praticar magia na cidade, ganhando fama com isso e manipulando os samaritanos com sua feitiçaria. Todos comiam na mão dele, das criancinhas aos mais velhos. O povo acreditava que Simão tinha poderes sobrenaturais e o chamavam de Grande Mago. Ele morava ali havia algum tempo, e todos o admiravam.

12-13Mas, quando Filipe veio à cidade, anunciando as novas do Reino de Deus e proclamando o nome de Jesus Cristo, eles se esqueceram de Simão e foram batizados, depois de se tornarem cristãos. O próprio Simão creu, foi batizado e, a partir daí, tornou-se a sombra de Filipe. Estava tão fascinado com os sinais e milagres de Deus que não saía de perto dele.

14-17Quando os apóstolos, em Jerusalém, tomaram conhecimento de que Samaria tinha aceitado a Mensagem, enviaram Pedro e João para orar por eles, a fim de que recebessem o Espírito Santo. Até aquele momento, eles tinham sido batizados apenas no nome do Senhor Jesus — o Espírito Santo ainda não tinha vindo sobre eles. Então, os apóstolos impuseram as mãos sobre eles, e eles receberam o Espírito Santo.

18-19Quando Simão viu que os apóstolos concediam o Espírito com a simples imposição de mãos, ofereceu-lhes muito dinheiro, entusiasmado: “Vendam-me o segredo de vocês! Como conseguem fazer isso? Quanto querem? Façam um preço!”.

20-23Mas Pedro reagiu: “Para o inferno, você e seu dinheiro! Como ousa pensar que pode comprar o dom de Deus? Você nunca vai tomar parte da obra de Deus com suborno e barganha. Trate já de mudar de vida! Peça ao Senhor que o perdoe por querer usar Deus para ganhar dinheiro. Vejo que não deixou o velho hábito. Sua ganância está acabando com você!”

24“Oh!”, exclamou Simão. “Orem por mim! Orem ao Senhor para que nada disso aconteça comigo!”

25Depois disso, os apóstolos prosseguiram seu caminho, continuando a testemunhar e a espalhar a Mensagem da salvação de Deus, pregando nas cidades samaritanas que encontravam no caminho de volta para Jerusalém.

O EUNUCO ETÍOPE

26-28Certo dia, um anjo de Deus disse a Filipe: “Ao meio-dia de hoje, quero que vá àquela estrada deserta que liga Jerusalém a Gaza”. Ele foi e deparou com um eunuco etíope que vinha pela estrada. O homem voltava para a Etiópia depois de uma peregrinação a Jerusalém. Ele era ministro naquele país, responsável pelas finanças de Candace, rainha dos etíopes. Ele viajava numa carruagem e lia o profeta Isaías.

29-30O Espírito disse a Filipe: “Suba na carruagem”. Correndo ao lado do veículo, Filipe ouviu o eunuco ler o profeta Isaías e perguntou: “Você entende o que está lendo?”

31-33Ele respondeu: “Como, se não tenho quem me explique?”, e convidou Filipe para que subisse na carruagem. A passagem que ele estava lendo era esta: Como uma ovelha levada ao matadouro, silencioso como um cordeiro na tosquia, Ele estava quieto, sem dizer nada. Foi ridicularizado e humilhado, não teve um julgamento justo. Mas agora quem pode contar seus parentes, uma vez que ele foi tirado da terra?

34-35O eunuco perguntou: “Diga-me, a quem o profeta se refere: a ele mesmo ou a outro?” Filipe não perdeu a oportunidade. Partindo daquela passagem, deu testemunho de Jesus.

36-39Em certo ponto da estrada aproximaram-se de um lugar com águas correntes. O eunuco disse: “Olhe, aqui há água. O que me impede de ser batizado?”. Assim, ele ordenou ao condutor da carruagem que parasse. Ambos desceram, e Filipe o batizou ali mesmo. Quando saíram da água, o Espírito de Deus, de repente, levou Filipe. Foi a última vez que o eunuco o viu. Feliz da vida, o eunuco continuou sua jornada, pois agora possuía o que tanto havia buscado.

40Filipe apareceu em Azoto e depois rumou para o norte, pregando a Mensagem em todas as cidades pelo caminho até chegar a Cesaréia.