Cantares

Capítulo: 6
O CORAL

1Para onde foi o seu amado, ó linda mulher? Onde ele pode estar? Vamos ajudar a procurá-lo.

A AMADA

2-3Não se preocupem. Meu amado já está a caminho do seu jardim, para admirar as belas flores, com suas formas e cores. Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu também. Seu prazer é estar entre as flores perfumadas.

O AMADO

4-7Minha querida, minha amada, você é bela como Tirza, a cidade dos prazeres. Amável como Jerusalém, a cidade dos sonhos. É encantadora, simplesmente irresistível! Seu olhar me deixa completamente sem graça. Sua beleza é demais para mim. É perfeita demais. Não mereço tanto. Seus cabelos, que deslizam cheios de vida, são como filetes cristalinos de cachoeiras, que escorrem suavemente pelas encostas. Seu sorriso é radiante e encantador — entoam vida e singela pureza. Suas faces revelam suavidade e resplendor.

8-9Não há ninguém igual a ela, nunca houve nem haverá. Ela não tem comparação. Mais bela que qualquer modelo, ela é perfeita. Pura e inocente como no dia em que nasceu, embalada com alegria por sua mãe. Todos os que passavam para vê-la ficavam admirados. Gente simples e gente importante igualmente a elogiam:

O CORAL

10“Alguém já viu coisa mais linda? É nova aurora, luar fascinante, dia ensolarado, tão bonita como um céu estrelado!”

A AMADA

11-12Certo dia, saí para passear no jardim, aguardando sinais da primavera, ansiava pelos botões que desabrocham em flores. Antes que eu percebesse, meu coração foi arrebatado, fui tomada por sonhos de amor!

O CORAL

13Dance, dance, querida Sulamita, princesa sem igual! Dance e encante-nos com sua beleza! Todos querem ver Sulamita dançar suas danças de celebração.