Deuteronômio

Capítulo: 24

1-4Se um homem casar com uma mulher e acontecer de ele não gostar mais dela, porque encontrou algo de errado em sua esposa, ele poderá dar a ela a certidão de divórcio. Deve entregá-la em mãos e mandá-la embora. Depois que ela o deixar, se ela se tornar a mulher de outro homem e o segundo marido também a desprezar e der a certidão de divórcio a ela e mandá-la embora ou morrer, o primeiro marido, que se divorciou dela, não poderá se casar com ela outra vez. Ela se tornou ritualmente impura, e seu novo casamento com ele seria uma abominação na presença do Eterno. Ele contaminaria a terra com pecado, essa terra que o Eterno está dando a vocês como herança.

5Quando um homem tomar uma nova esposa, ele não deve sair para a guerra nem ser obrigado a desempenhar outra função pública. Ele tem direito a um ano de licença para ficar em casa e fazer sua esposa feliz.

6Não tomem um moinho ou a pedra superior do moinho como garantia de um empréstimo. Vocês estariam tomando o meio de sobrevivência da pessoa.

7Se um homem for flagrado sequestrando outro israelita para escravizá-lo ou vendê-lo, o sequestrador terá de morrer. Eliminem esse mal do meio de vocês.

8-9Aviso: Se uma séria doença de pele irromper, sigam à risca as orientações dos sacerdotes levitas, como ordenei a eles. Não se esqueçam do que o Eterno, o seu Deus, fez a Miriã no caminho, depois que vocês saíram do Egito.

10-13Quem fizer um empréstimo de qualquer tipo ao próximo não poderá entrar na casa dele para tomar o objeto de garantia do empréstimo. Deverá esperar do lado de fora da casa. Deverá deixar que o homem que tomou o empréstimo traga o objeto de garantia até ele. E, se o que pediu o empréstimo for pobre, o que concedeu o empréstimo não deverá usar o manto dele para dormir: terá de devolvê-lo antes do anoitecer, para que ele possa se cobrir e abençoar a pessoa que concedeu o empréstimo a ele. Aos olhos do Eterno, o seu Deus, isso será considerado um ato justo.

14-15Não se aproveitem do trabalhador pobre e necessitado, seja um irmão israelita, seja um estrangeiro que viva na sua cidade. Paguem ao final de cada dia de trabalho, porque ele depende do salário de cada dia para viver e precisa do dinheiro no ato. Se você retiver o pagamento dele, ele reclamará ao Eterno, e você terá um pecado na sua ficha.

16Os pais não poderão ser mortos por causa dos filhos, nem os filhos por causa dos pais. Cada pessoa terá de morrer pelos próprios pecados.

17-18Cuidem para que os estrangeiros e os órfãos não sejam prejudicados em seus direitos. Não tomem o manto da viúva como garantia de empréstimo. Nunca se esqueçam de que vocês foram escravos no Egito e de que o Eterno, o seu Deus, os tirou de lá. Eu ordeno: façam o que estou dizendo.

19-22Quando vocês fizerem a colheita do cereal e deixarem cair um feixe no campo, não voltem para apanhá-lo: deixem-no para os estrangeiros, os órfãos e as viúvas; assim, o Eterno, o seu Deus, abençoará o seu trabalho. Quando vocês sacudirem as azeitonas das oliveiras, não voltem aos galhos para tirar o restante — o que ficou deverá ser deixado para os estrangeiros, órfãos e viúvas. E, quando vocês colherem as uvas da sua vinha, não colham todas elas: deixem algumas para os estrangeiros, órfãos e viúvas. Nunca se esqueçam de que vocês foram escravos no Egito. Façam o que estou ordenando.