Êxodo

Capítulo: 5
MOISÉS, ARÃO E O FARAÓ

1Finalmente, Moisés e Arão apresentaram-se ao faraó e disseram: “Isto é o que diz o Eterno, o Deus de Israel: ‘Liberte meu povo, para que celebre uma festa em minha homenagem no deserto’”.

2Mas o faraó retrucou: “Quem é o Eterno, para que eu de importância ao que ele diz e mande Israel embora? Não sei quem é esse Eterno e é lógico que não vou mandar Israel embora”.

3Eles disseram: “O Deus dos hebreus veio ao nosso encontro. Deixe-nos fazer uma viagem de três dias deserto adentro, para que possamos prestar culto ao nosso Eterno, de modo que ele não nos aflija com doença ou morte”.

4-5O rei do Egito replicou: “Moisés e Arão, por que vocês acham que devo liberar o povo? Voltem ao trabalho!”. E acrescentou: “Essa gente já trabalha pouco, e vocês ainda querem que eu de folga para eles?”

6-7A retaliação do faraó veio na hora. Ele deu ordens aos feitores e seus subordinados: "Não forneçam palha como antes para o povo fazer tijolos. De agora em diante, eles mesmos vão ter de providenciar a palha. E isso não significa redução da cota diária. Eles vão ter de produzir a mesma quantidade de tijolos! Isso porque estão ficando preguiçosos e ficam dizendo por aí: ‘Libere-nos do trabalho, para que possamos adorar ao nosso Deus’, Não deem moleza a esses folgados. Assim, des param de fazer reivindicações e esquecem essa história de adorar a Deus”.

8-12Os feitores e seus subordinados foram passar as novas instruções ao povo: “Ordens do faraó: não se fornecerá mais palha. Recolham vocês mesmos a palha onde puderem encontrá-la. Mas não se reduzirá um único tijolo de sua cota diária!” E o povo espalhou-se por todo o Egito em busca de palha.

13Os feitores não tinham misericórdia e pressionavam os escravos: “Cumpram sua cota! Queremos a mesma quantidade de quando recebiam palha”.

14Os capatazes israelitas foram açoitados a mando dos feitores. “Por que vocês não cumpriram a cota de tijolos ontem, anteontem e hoje de novo?” os egípcios queriam saber.

15-16Os capatazes israelitas imploraram ao faraó por uma redução da carga de trabalho: “Por que o senhor está tratando seus servos assim? Ninguém nos dá mais palha e ainda nos dizem: ‘Façam tijolos!’. Olhe para nós! Estamos sendo agredidos sem ter culpa!”

17-18Mas o faraó respondeu: “Preguiçosos! É isso que vocês são! Preguiçosos! É por isso que ficam exigindo: ‘Queremos uma folga para adorar ao Eterno’. Voltem ao trabalho! Ninguém dará palha a vocês, e é melhor que cumpram a cota diária de tijolos”.

19Os capatazes israelitas viram que estavam em situação difícil, pois teriam de voltar e dizer aos trabalhadores: “Nem um tijolo a menos na produção do dia”.

20-21Ao sair da presença do faraó, eles encontraram Moisés e Arão, que os aguardavam. Os capatazes disseram: “Que o Eterno veja o que vocês fizeram e os julgue, porque vocês nos puseram numa situação insustentável diante do faraó e de seus servos! Puseram nas mãos deles a arma que vai acabar conosco!”

22-23Moisés orou ao Eterno e perguntou: “Por que tratas tão mal este povo? E por que me enviaste? Desde o momento em que fui falar ao faraó em teu nome, as coisas só pioraram para o povo. Libertação? É essa a ‘libertação’ que pretendias?”