Gênesis

Capítulo: 22

1Depois de todas essas coisas, Deus resolveu testar Abraão. Então, o chamou: “Abraão!” Abraão respondeu: “Pois não! Estou ouvindo”.

2E ele disse: “Pegue Isaque, seu filho querido, a quem você ama, e vá para a terra de Moriá. Você deverá sacrificá-lo ali como oferta queimada sobre um dos montes que indicarei”.

3-5No dia seguinte, Abraão levantou-se bem cedo e pôs a sela sobre seu jumento. Levou consigo dois jovens empregados e seu filho Isaque. Ele cortou lenha para a oferta queimada e partiu para o lugar indicado por Deus. Depois de três dias, olhou para cima e avistou o lugar ao longe, Abraão disse aos empregados: “Fiquem aqui com o jumento. Eu e o garoto iremos até lá em cima para prestar culto e, depois, voltaremos para cá”.

6Abraão entregou a lenha para a oferta queimada a Isaque, para que ele a carregasse. Levava consigo ainda a pedra de fogo e a faca. E os dois seguiram juntos.

7A certa altura, Isaque disse a Abraão: “Pai?” “Sim, meu filho.” “Aqui estão a pedra de fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para a oferta queimada?”

8Abraão respondeu: “Filho, Deus vai providenciar o cordeiro para a oferta queimada”. E continuaram caminhando.

9-10Finalmente, chegaram ao lugar indicado por Deus. Abraão edificou um altar e arrumou a lenha sobre ele. Depois, amarrou Isaque e o pôs sobre a lenha. Em seguida, estendeu a mão e pegou a faca para matar o filho.

11Na mesma hora, um anjo do Eterno chamou-o do céu: “Abraão! Abraão!” “Pois não. Estou ouvindo.”

12“Não baixe a mão sobre o garoto! Não toque nele! Agora sei quanto você teme a Deus e como é destemido. Você não vacilou em pôr seu filho, seu filho amado, sobre o altar para oferecê-lo a mim”.

13Abraão ergueu os olhos e viu um carneiro preso pelos chifres num arbusto. Ele pegou o animal e o sacrificou como oferta queimada em lugar do seu filho.

14Abraão deu àquele lugar o nome de Javé-Jiré (Deus Providenciará). Foi daí que veio a expressão: “No monte do Eterno, ele providenciará”.

15-18O anjo do Eterno falou do céu pela segunda vez a Abraão: “Prometo, e essa palavra é do Eterno, que o abençoarei, porque você foi até o fim nessa questão e não se recusou a entregar-me seu filho amado. Como eu o abençoarei! Farei que seus filhos sejam tão numerosos quanto as estrelas no céu e a areia da praia! E seus descendentes derrotarão os inimigos. Todas as nações da terra serão abençoadas por meio de seus descendentes, pois você me obedeceu”.

19Abraão retornou até onde estavam seus jovens empregados. Eles juntaram suas coisas e voltaram para Berseba. E Abraão estabeleceu-se em Berseba.

20-23Algum tempo depois, Abraão recebeu a seguinte notícia: “Seu irmão Naor já é pai! Milca deu filhos a ele: Uz, o mais velho, seu irmão Buz, Quemuel (ele foi o pai de Arão), Quésede, Hazo, Pildas, Jidlafe e Betuel” (Betuel foi o pai de Rebeca). Milca deu esses oito filhos a Naor, irmão de Abraão.

24Reumá, concubina de Naor, deu a ele outros quatro filhos: Tebá, Gaã, Taás e Maaca.