Gênesis

Capítulo: 3

1A serpente era inteligente, mais inteligente que qualquer outro animal selvagem que o Eterno havia criado. Ela disse à Mulher: “Será que entendi direito? Deus disse a vocês que não comessem de árvore alguma do jardim? "

2-3A Mulher respondeu: “Claro que não! Temos permissão para comer das árvores do jardim. Só com relação à árvore que está no meio do jardim foi que Deus disse: ‘Não comam daquela árvore, nem mesmo toquem nela, senão vocês vão morrer’”.

4-5Então, a serpente disse à Mulher: “Vocês não vão morrer. Deus sabe que, no momento em que comerem daquela árvore, vocês vão perceber a realidade e serão como Deus: conhecerão todas as coisas, tanto o bem quanto o mal”.

6A Mulher olhou para a árvore e percebeu que o fruto era apetitoso. Pensando na possibilidade de conhecer todas as coisas, pegou o fruto, comeu e o repartiu com o marido — ele também comeu.

7Na mesma hora, os dois, de fato, perceberam a “realidade”: descobriram que estavam nus! Então, costuraram umas roupas provisórias, feitas de folhas de figueira.

8Quando escutaram o som do Eterno passeando pelo jardim, na hora da brisa da tarde, o Homem e a Mulher esconderam-se entre as árvores. Não queriam se encontrar com o Eterno.

9Mas o Eterno chamou o Homem: “Onde você está?”

10Ele respondeu: “Eu te ouvi no jardim e fiquei com medo, porque eu estava nu. Então, me escondi”.

11E o Eterno disse: “Quem disse que você estava nu? Você comeu da árvore de que o proibi de comer?”.

12O Homem respondeu: “A Mulher, que tu me deste para ser minha companheira, ela me deu do fruto da árvore, e, sim, acabei comendo”. Então, o Eterno disse à Mulher: “O que foi que você fez?”

13Ela respondeu: “A serpente me enganou, e acabei comendo”.

14-15Então, o Eterno disse à serpente: “Por ter feito isso, você será amaldiçoada, mais que o gado e os animais selvagens, Amaldiçoada para rastejar e comer pó a vida toda. Declaro guerra entre você e a Mulher, entre seu descendente e o descendente dela. Ele ferirá sua cabeça, e você ferirá o calcanhar dele”.

16E ele disse à Mulher: “Multiplicarei suas dores no parto; você dará à luz seus filhos em meio a dores. Você vai querer agradar a seu marido, mas ele governará sobre você”.

17-19E disse ao Homem: “Por ter dado ouvidos à Mulher e comido da árvore De que o proibi de comer: ‘Não coma dessa árvore’, Até mesmo a terra será amaldiçoada por sua causa. Tirar o alimento da terra Será tão sofrido quanto o parto da Mulher; você sofrerá para trabalhar durante toda a sua vida. A terra produzirá espinhos e mato, e, para você, será penoso conseguir alimento; Você vai plantar, regar e colher, vai suar na lavoura, de manhã cedo até bem tarde, Até que você volte para a terra, morto e enterrado; você começou como pó e como pó também acabará.

20O Homem, conhecido como Adão, deu o nome de Eva à sua esposa, porque ela foi a mãe de todos os que vivem.

21O Eterno fez roupas de couro para que Adão e sua mulher vestissem.

22E o Eterno disse: “O Homem tornou-se como um de nós, capaz de conhecer todas as coisas, tanto o bem quanto o mal. E agora? E se ele comer do fruto da Árvore da Vida e viver para sempre? Nunca! Isso não pode acontecer!”

23-24Por isso, o Eterno os expulsou do jardim do Éden e mandou-os trabalhar na terra, a mesma de que eles haviam sido feitos. Ele os tirou do jardim e deixou um anjo querubim de guarda no lado leste e uma espada de fogo, se movendo de um lado para o outro, guardando o caminho que leva à Árvore da Vida.