Isaías

Capítulo: 35
OS MUDOS COMEÇARÃO A CANTAR

1-2O deserto e a região árida cantarão alegremente, As terras ressequidas vão celebrar e florescer Como as flores na primavera, desabrochando — Uma sinfonia de canto e cor. As glórias do monte Líbano — que dádiva! Magnífico Carmelo, majestoso Sarom — que dádivas! A glória resplandecente do Eterno à vista de todos. O Eterno grandioso, o Eterno majestoso.

3-4Fortaleçam as mãos debilitadas e os joelhos vacilantes. Digam às almas temerosas: “Coragem! Ânimo! O Eterno está aqui, bem aqui, Prestes a pôr tudo em ordem E reparar todo o mal. Ele está a caminho! Ele vai trazer salvação!”

5-7Olhos cegos serão abertos, ouvidos surdos serão desimpedidos, Os aleijados saltarão como a gazela, os mudos começarão a cantar. Fontes de água irromperão no deserto, torrentes na terra ressequida. Areias ardentes serão como o oásis, a terra sedenta será uma fonte que não para de jorrar. Até os chacais terão água para beber, e os pastos ressecados se tornarão verdejantes.

8-10Haverá uma estrada chamada Sagrada. Ninguém que seja rude ou rebelde tem permissão para viajar por ela. Ela é exclusiva do povo do Eterno. Nela ninguém se perderá. Nem mesmo os tolos terão como se perder. Não há leões nessa estrada, nenhum animal selvagem e feroz — Nada e ninguém que seja perigoso ou ameaçador. Só os redimidos andarão por ela. O povo que o Eterno redimiu voltará por essa estrada. Eles cantarão enquanto estiverem a caminho de casa, Sião, com coroas de alegria na cabeça, Serão recebidos em casa com presentes, alegria e felicidade, mas as tristezas e os gemidos fugirão para a escuridão da noite.