Isaías

Capítulo: 42
O SERVO DE DEUS TRARÁ JUSTIÇA À TERRA

1-4“Olhem bem para meu servo. Estou dando a ele pleno apoio. Ele é meu escolhido, e eu não poderia estar mais satisfeito com ele. Eu lhe dei do meu Espírito, da minha vida. Ele estabelecerá a justiça entre as nações. Não chamará atenção para o que faz com discursos espalhafatosos ou desfiles pomposos. Ele não vai menosprezar os oprimidos nem os fracos, nem fazer pouco caso do cidadão comum, mas, com firmeza e constância, estabelecerá a justiça. Ele não vai fraquejar nem desistir. Não será impedido até que termine sua obra — trazer justiça à terra. A grandes ilhas do oceano aguardam ansiosamente o seu ensino”.

DEUS NOS DÁ VIDA

5-9Mensagem do Eterno, o Deus que criou o Universo e estendeu os céus; que pôs em ordem a terra e tudo que cresce nela; Que dá o sopro da vida aos habitantes da terra; que as vivifica com a vida que dele vem: “Eu sou o Eterno. Eu o chamei para viver de forma justa e boa. Assumi a responsabilidade por você e o protegi. Enviei-o ao meu povo, para que o trouxesse de volta para mim, e o estabeleci como farol para as nações, Para dar início à obra de trazer os demais povos para a luz: abrir os olhos dos cegos, libertar os cativos das masmorras, esvaziar as prisões escuras. Eu sou o Eterno. Esse é meu nome. Não faço concessões da minha glória, Não endosso os ídolos, que não são deuses. Observem: as predições anteriores de juízo foram cumpridas. Estou anunciando agora a nova obra da salvação. Antes que o cenário repentinamente se mude, estou contando a vocês o que vai acontecer”.

10-16Cantem ao Eterno uma nova canção, cantem seus louvores em todo o mundo! Que o mar e os peixes batam palmas e aplaudam, e todas as grandes ilhas se juntem a eles! Que do deserto e de seus acampamentos brote uma melodia, convidando os nômades de Quedar a se unir a eles! Que os aldeões de Selá reúnam um coro e façam uma apresentação do topo do monte! Façam ressoar a glória do Eterno, ecoem seus louvores de costa a costa. O Eterno intervém com seriedade. Vocês podem ver que ele está determinado a agir. Ele grita, anunciando sua chegada. Ele dá ordens, e seus inimigos se encolhem: “Eu me calei por tempo suficiente. Eu me controlei, mordendo a língua. Mas agora estou me soltando, gritando e gemendo como a mulher na hora do parto — Vou arrasar as colinas, vou secar as flores silvestres, Esvaziar os rios, transformar os lagos em lamaçais. Mas vou tomar a mão dos que não sabem o caminho, que não conseguem enxergar por onde estão indo. Serei seu guia pessoal, conduzindo-os através de terras desconhecidas. Estarei ali para mostrar as estradas que devem escolher, para não deixar que caiam nas valetas. São essas as coisas que farei por eles — vou ficar perto deles, não os abandonarei por um minuto sequer”.

17Mas os que investiram em deuses que não são deuses estão falidos, estão na bancarrota.

OLHARAM MUITO, MAS NADA ENXERGARAM

18-25Prestem atenção! Vocês estão surdos? Abram os olhos! Vocês estão cegos? Vocês me servem, mas nem olham direito! Vocês são meus mensageiros, mas não estão escutando! Justo o povo de quem eu dependo, o servo do Eterno, está cego — obstinadamente cego! Vocês olharam muito, mas nada enxergaram. Ouviram tudo, mas não prestaram atenção em nada. O Eterno pretendia, por sua bondade, ser generoso em sua revelação. Mas vocês são um povo desanimado e retraído, trancafiados em suas despensas e armários, Vítimas no seu sofrimento, sentindo-se ignoradas e abandonadas. Mas há pelo menos alguém ouvindo? Alguém está prestando atenção no que está para acontecer? Quem vocês pensam que entregou Jacó aos matadores e soltou os ladrões para atacar Israel? Não foi o próprio Eterno, o Deus contra quem pecamos, por não fazermos o que ele ordenou por não dar importância ao que ele disse? Não é a ira de Deus que está por trás de tudo isso, o poder do castigo de Deus? O mundo deles desmoronou, mas ainda assim eles não compreenderam; a vida deles está em ruínas, mas eles não levam isso a sério.