I Samuel

Capítulo: 28

1Naquele tempo, os filisteus convocaram o exército para lutar contra lsrael. Aquis disse a Davi: “Você e seus homens sairão à guerra com as minhas tropas”.

2Davi respondeu: “Está bem! Você mesmo verá o que eu sou capaz de fazer!” Aquis disse: “Ótimo! Você fará parte da minha guarda pessoal para sempre!”

SAUL ORA, MAS DEUS NÃO RESPONDE

3Samuel já tinha morrido. Todo o Israel tinha lamentado sua morte e o tinha sepultado em sua cidade natal, Ramá. Saul tinha eliminado da nação todos os que consultavam os espíritos dos mortos.

4-5Os filisteus convocaram suas tropas e acamparam em Suném. Saul reuniu todo o Israel e acampou em Gilboa. Mas, quando Saul viu as tropas dos filisteus, tremeu de medo.

6Saul orou ao Eterno, mas Deus não respondeu, nem por sonhos, nem por sinais, nem por meio de algum profeta.

7Aflito, Saul deu ordens aos seus oficiais: “Procurem alguém que possa invocar os espíritos, para que eu me aconselhe com esses espíritos”. Os oficiais disseram: “Há uma mulher em En-Dor”.

8Saul disfarçou-se, vestindo outra roupa e, na companhia de dois homens, foi, à noite, procurar a mulher. Ele pediu a ela: “Quero que você consulte para mim um espírito. Faça subir a pessoa de quem eu disser o nome”.

9A mulher respondeu: “Espere um pouco! Você sabe que Saul eliminou todos os que consultavam espíritos dos mortos da nação. Você sabe que está me pondo numa situação que pode me levar à morte, não é?”

10Saul jurou solenemente: “Assim como vive o Eterno, você não será castigada por isso".

11A mulher respondeu: “Então, quem você quer que eu faça subir?” “Samuel, faça subir. Samuel.”

12Quando a mulher viu Samuel, gritou para Saul: “Por que mentiu para mim? O senhor é Saul!”.

13O rei disse a ela: “Não tenha medo. O que você vê?”. A mulher respondeu: “Estou vendo um espírito subindo da terra”.

14Saul perguntou: “Com quem ele se parece?” Ela disse: “Com um velho que está subindo, vestido como sacerdote”. Saul sabia que era Samuel. Ele se prostrou com o rosto em terra e adorou.

15Samuel disse a Saul: “Por que você me perturba, fazendo-me subir?” Saul respondeu: “Porque estou profundamente perturbado. Os filisteus estão se preparando para me atacar, e Deus me abandonou. Ele não me responde mais, nem por meio de profeta, nem por sonhos. Por isso, mandei chamá-lo para que me diga o que fazer”.

16-19Samuel perguntou: “Mas por que você está perguntando isso para mim? O Eterno abandonou você e se tornou seu adversário. O Eterno fez exatamente o que já tinha dito por meu intermédio. Ele arrancou o reino de suas mãos e o entregou ao seu adversário. Já que você não obedeceu ao Eterno e se recusou a cumprir suas ordens com relação aos amalequitas, o Eterno está fazendo isso com você hoje. Pior ainda, o Eterno está entregando Israel junto com você nas mãos dos filisteus. Amanhã, você e seus filhos estarão comigo. O exército de Israel também será entregue nas mãos dos filisteus”.

20-22No mesmo instante, Saul despencou no chão, aterrorizado pelas palavras de Samuel. Ele não tinha mais forças, pois não tinha comido nada o dia inteiro. A mulher, percebendo que ele estava em estado de choque, disse: “Ouça, eu apenas fiz o que o senhor pediu. Arrisquei a minha vida, cumprindo à risca as suas instruções. Agora, o senhor deve seguir as minhas instruções: coma alguma coisa. Isso dará forças para o senhor seguir seu caminho”.

23-25Mas ele recusou. “Não vou comer nada!” Seus acompanhantes concordaram com a mulher e insistiram com ele. Saul finalmente cedeu e sentou-se na cama. A mulher se apressou, matou um bezerro gordo, pegou um pouco de farinha, amassou-a e assou alguns pães sem fermento. Ela serviu a Saul e sua comitiva. Depois de se satisfazerem, eles se levantaram e seguiram seu caminho, ainda naquela noite.