Jeremias

Capítulo: 16
OS MORTAIS PODEM FABRICAR DEUSES

1-4Mensagem do Eterno para mim: “Jeremias, não se case. Não constitua família aqui. Já assinei a sentença de morte para todas as crianças nascidas nesta terra, para as mães que os deram à luz e para os pais que os geraram: muitas mortes. Morte não pranteada, morte insepulta, corpos em decomposição cheirando como esterco, e todos os cadáveres, seja por assassinato, seja por fome, servindo de comida para corvos e vira-latas!”.

5-7E o Eterno continuou: “Não entre numa casa em que estejam pranteando os mortos. Não vá a funerais. Não chore a morte de ninguém. Eu parei de me importar com o que acontece a este povo”. É o decreto do Eterno. “Não há mais amor leal da minha parte, não há mais compaixão. Aqui famosos e desamparados vão morrer da mesma forma, sem luto e insepultos. Ninguém realizará funerais, ninguém vai se preocupar com isso, ninguém vai se importar, ninguém vai dizer: ‘Sinto muito’, ninguém vai oferecer nem um café, nem para a mãe, nem para o pai.

8“E, se alguém fizer uma festa, também não vá para lá se divertir”.

9O Senhor dos Exércitos de Anjos, o Deus de Israel, diz: “Preste atenção. Estou prestes a eliminar os sorrisos e as risadas deste lugar. Chega de noivos e noivas festejando. Farei isso durante seu tempo de vida, diante dos seus olhos.

10-13“Quando você disser isso ao povo e eles perguntarem: ‘Por que Deus está falando desse jeito, ameaçando-nos com todas essas calamidades? Afinal, não somos criminosos! O que fizemos ao Eterno, para sermos tratados desse jeito?’, diga a eles: ‘É porque seus antepassados me deixaram, deram-me as costas e nunca mais olharam para trás. Eles partiram com deuses, que nem deuses são, e os serviram e se apaixonaram por eles; eles me ignoraram e não fizeram nada do que mandei. E vocês são ainda piores! Olhem-se no espelho: vocês fazem o que querem, quando querem, e se negam a me dar atenção. Por isso, estou me livrando de vocês, jogando-os lá fora no frio, numa terra distante e estrangeira. Lá vocês podem adorar seus deuses, que nem deuses são, à vontade. Fiquem tranquilos, não vou incomodá-los mais”.

14-15“Mas saibam do seguinte: virá o tempo em que ninguém mais vai dizer: ‘Tão certo quanto o Eterno vive, o Deus que libertou Israel do Egito...’. Em vez disso, dirão: ‘Tão certo quanto o Eterno vive, o Deus que trouxe Israel de volta da terra do norte, trouxe o povo de volta de todos os lugares por onde o havia espalhado...’. É isto mesmo: vou trazê-los de volta para a terra que no passado dei a seus pais.”

16-17“Agora, prestem atenção no que virá em seguida: vou reunir um grupo de pescadores”. É o decreto do Eterno! “Eles vão pescar meu povo e trazê-los a julgamento. Depois, vou enviar um grupo de caçadores, e eles vão trazê-los de todas as montanhas, colinas e covas. Estou atento a cada movimento deles. Não perdi o rastro de nenhum deles, nem deles nem de seus pecados.

18“Eles não vão escapar ilesos. Vão pagar em dobro por tudo que fizeram. Eles fizeram uma tremenda confusão, sujando sua vida com deuses, que nem deuses são, e deixando montes de lixo fétido — os ídolos — em todos os lugares”.

19-20Ó Eterno, força minha e fortaleza minha, meu refúgio seguro na hora da tribulação, As nações pagãs virão dos quatro cantos da terra, dizendo: “Nossos antepassados viveram de mentiras, ilusões inúteis, é tudo ilusão”. Podem os mortais fabricar deuses? Suas fábricas produzem deuses que não são deuses!

21“Preste muita atenção agora. Vou ensinar uma lição a este povo teimoso. Começando agora mesmo, vou ensinar a eles Quem eu sou e o que faço, vou ensinar o significado do meu nome, o Eterno: Eu Sou.”