Capítulo: 23
A DEFESA DE JÓ - ESCURIDÃO TOTAL

1-7Jó respondeu: “Não vou desistir, vou em frente, pois minha queixa é legítima. Deus não pode me tratar assim — não é justo! Se eu soubesse onde encontrá-lo, eu iria correndo. Apresentaria meu caso diante dele, exporia todos os meus argumentos. Pela resposta, saberia exatamente o que pensa, o que se passa na cabeça dele. Acha que ele me mandaria embora? Ou me acusaria? Não, ele me daria ouvidos. Veria um homem correto diante dele, e meu Juiz me absolveria de uma vez por todas das acusações.

8-9“Mas vou para o leste à procura dele e não o encontro; vou para o oeste, mas nenhum sinal dele. Vou para o norte, e nem rastros dele eu vejo; vou para o sul, também não acho nem uma pista.

10-12“Mas ele sabe de tudo: onde estou e o que faço. Ele pode me investigar e passo no teste com louvor. Meus pés seguiram de perto as suas pegadas, jamais me desviei do caminho. Cumpri todas os mandamentos dele, e não somente obedeci — eu os colecionei com carinho.

13-17“Mas ele é único e soberano. Quem pode argumentar com ele? Ele faz o que quer e quando quer. Ele levará a cabo o que decidiu sobre mim e o que mais decidir fazer. Surpreende que eu tenha medo de me encontrar com ele? Quando penso nisso, fico apavorado outra vez. Deus faz meu coração ficar apreensivo! O Todo-poderoso me faz tremer. Estou em completa escuridão, não enxergo um palmo diante do nariz”.