Lamentações

Capítulo: 5
DÁ-NOS UM NOVO COMEÇO

1-22“Lembra-te, ó Eterno, de tudo que passamos. Observa, nossa terrível condição, a marca triste que deixamos na história. Nossa terra preciosa foi dada aos invasores; nossas casas, a estranhos. Somos órfãos, não há um pai em vista, e nossas mães são como viúvas. Temos de pagar pela própria água. Até a lenha para fazer fogo precisa ser paga. Não somos nada mais que escravos, ameaçados e oprimidos, exaustos e sem descanso. Nós nos vendemos para a Assíria e para o Egito só para ter o que comer. Nossos pais pecaram e já não estão aqui, e estamos pagando pelos erros que eles cometeram. Escravos nos dominam; não dá para escapar das suas garras. Arriscamos a vida em busca de comida no deserto infestado de bandidos. Nossa pele se tornou negra como um forno, ressecada como couro velho por causa da fome. Nossas mulheres foram violentadas nas ruas de Sião; e nossas virgens, nas cidades de Judá. Eles esganaram nossos príncipes, desonraram nossos anciãos. Jovens fortes foram postos para fazer trabalho de mulheres, meninos foram forçados a fazer trabalho de homens. Nas portas da cidade, já não há sábios anciãos. Já não se ouve a música dos jovens. Toda a alegria do nosso coração se foi. Nossas danças se tornaram cantos fúnebres. A coroa de glória caiu da nossa cabeça. Ai! Ai! Quem dera não ter pecado! Por causa disso, estamos doentes do coração. Não conseguimos enxergar por causa das lágrimas. No monte Sião, destruído e arruinado, os chacais perambulam e vagueiam. Contudo, ó Eterno, tu ainda és soberano, e teu trono eterno permanece para sempre. Por que, então, continuas a nos ignorar? Por que nos jogar fora e nos deixas assim? Leva-nos de volta para ti, Senhor! Estamos prontos para voltar. Dá-nos um novo início. A não ser que não tenha mais volta, não nos queiras mais, e a sua fúria não tenha fim.”