Lucas

Capítulo: 1

1-4Várias pessoas se deram ao trabalho de relatar por escrito os fatos extraordinários que se passaram entre nós, que eram, ao mesmo tempo, o cumprimento de profecias das Escrituras. Elas basearam seus relatos em testemunhas oculares que dedicaram a própria vida à Palavra. Investiguei cuidadosamente esses relatos, inteirando-me da história desde o princípio, e decidi escrever tudo ao senhor, honrado Teófilo, para que não haja nenhuma dúvida a respeito da confiabilidade de tudo que lhe foi ensinado.

UM FILHO NA VELHICE

5-7Durante o governo de Herodes, rei da Judeia, um sacerdote foi designado para servir no grupo de Abias. Seu nome era Zacarias, e sua mulher era descendente de Arão. O nome dela era Isabel. O casal vivia honestamente, sempre obedecendo de coração aos mandamentos. Era gente de consciência tranquila diante de Deus. Entretanto, não tinham filhos, porque Isabel não engravidava, e agora eles já eram idosos.

8-12Aconteceu que Zacarias estava cumprindo seus deveres sacerdotais na presença de Deus, no turno que lhe correspondia, quando chegou sua vez de entrar no santuário e queimar incenso. O povo estava reunido e orava do lado de fora do templo na hora da oferta do incenso. De repente, um anjo de Deus apareceu do lado direito do altar. Zacarias ficou paralisado de medo.

13-15Mas o anjo o tranquilizou: “Não tenha medo, Zacarias. Sua oração foi ouvida. Isabel, sua esposa, terá um filho. O nome dele será João. Você irá comemorar e pular de alegria, não apenas você, pois o nascimento dele irá alegrar muita gente. Ele será grande na presença de Deus.

15-17“Ele não poderá beber vinho nem cerveja, mas será cheio do Espírito Santo desde o momento em que sair do ventre materno. Ele conduzirá muitos filhos e filhas de Israel de volta para Deus. Cheio de poder como Elias, ele anunciará o Reino de Deus e reacenderá o amor dos pais pelos filhos, despertando fé nos corações mais fechados. Ele preparará o povo para Deus”.

18Zacarias disse ao anjo: “Como posso acreditar nisso? Já estou velho, e minha esposa também é uma mulher de idade”.

19-20Mas o anjo respondeu: “Sou Gabriel e vivo na presença de Deus. Fui enviado especialmente para trazer esta boa notícia. Mas, por não ter acreditado, você ficará mudo até o dia do nascimento do seu filho. Tudo irá acontecer exatamente no tempo certo — no tempo de Deus”.

21-22Enquanto isso, o povo, que esperava por Zacarias, já estava preocupado e se perguntava porque tanta demora no santuário. Mas, quando saiu, Zacarias não conseguiu falar. Então, todos entenderam que ele tivera uma visão. Como não conseguia falar nada, teve de usar gestos e sinais para se comunicar.

23-25Depois de encerrar seu turno, Zacarias voltou para casa. Não muito tempo depois disso, Isabel engravidou. E durante cinco meses ela nem saía de casa, curtindo a gravidez. Ficava sempre pensando: “Como pode o Senhor ter me abençoado tanto? Ele olhou para mim! Não serei mais humilhada!”

A VIRGEM TEVE UM FILHO

26-28No sexto mês da gravidez de Isabel, Deus enviou o anjo Gabriel à cidadezinha de Nazaré, na Galiléia, a uma virgem prestes a se casar com um homem chamado José, descendente de Davi. O nome da virgem era Maria. Ao entrar, o anjo disse a ela: “Alegre-se! Como você foi agraciada! Agraciada pelo belo agir de Deus! Deus está com você!”

29-33Ela ficou perplexa, pensando muito nas palavras do anjo. Mas ele a tranquilizou: "Maria, não há nada a temer. Deus preparou uma surpresa: você vai engravidar, dará à luz um filho e irá chamá-lo Jesus. Ele será grande, será chamado ‘Filho do Altíssimo’. O Senhor Deus dará a ele o trono de seu pai Davi. Ele governará a casa de Jacó para sempre — E o seu Reino jamais terá fim”.

34Maria perguntou ao anjo: “Mas como, se sou virgem?”.

35O anjo respondeu: “O Espírito Santo virá sobre você, o poder do Altíssimo a envolverá. O filho que você dará à luz será chamado Santo, Filho de Deus.

36-38“E saiba que sua prima Isabel engravidou, apesar da idade. Todos comentavam que ela era estéril, e agora está no sexto mês de gravidez! Como você pode ver, para Deus, nada é impossível”. Já sem se conter, Maria exclamou: “Agora tudo está claro: sou serva do Senhor, quero fazer a sua vontade. Que aconteça comigo conforme todas estas palavras”. Então, o anjo a deixou.

BENDITA ENTRE AS MULHERES

39-45Sem perder tempo, Maria tratou logo de se arrumar e viajou para uma cidade da região montanhosa de Judá. Ali, foi à casa de Zacarias. Assim que entrou, cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o bebê se agitou dentro dela. Cheia do Espírito Santo, começou a cantar: “A bendita entre as mulheres está ao meu lado, e o bebê em seu ventre é igualmente abençoado! E por que seria eu tão abençoada? É a mãe do meu Senhor! Que visita inesperada! Quando as palavras da sua saudação me chegaram aos ouvidos e ao coração, O bebê em meu ventre agitou-se de exultação. Que felicidade a sua! Você creu no que Deus faria! Sabia que cada palavra se realizaria”.

46-55Então, Maria irrompeu em louvor: “Meu coração extravasa em louvor a ti, ó Senhor; Quero dançar ao som da canção do meu Salvador. Deus decidiu olhar para mim, e vejam o que aconteceu: a mulher mais feliz da terra sou eu! O que Deus me fez nunca será esquecido, o Deus cujo nome é santo, para sempre engrandecido. Suas misericórdias sempre se renovam sobre aqueles que de coração o adoram. Ele estendeu o braço e mostrou que é poderoso, dispersou todo arrogante e todo orgulhoso. Derrubou do trono os tiranos assoberbados, e exaltou os simples e humilhados. Aos pobres e famintos deu um banquete extravagante; ficaram a ver navios os ricos arrogantes. Voltou a abraçar Israel, seu filho escolhido; por sua eterna misericórdia sentiu-se compelido. Cumpriu-se a sua promessa! Está consumada! Firmada com Abraão, agora manifestada”.

56Maria ficou três meses com Isabel, depois voltou para casa.

O NASCIMENTO DE JOÃO

57-58Ao completar o período de sua gravidez, Isabel deu à luz um filho. Vendo que Deus fora misericordioso com ela, seus vizinhos e parentes vieram celebrar o acontecimento.

59-60Oito dias depois, dia da circuncisão do menino, queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias. A mãe, porém, interferiu: “Não. Ele vai se chamar João”.

61-62“Mas ninguém na sua família tem esse nome!”, estranharam. Por meio de gestos e sinais, consultaram Zacarias para saber que nome ele queria dar ao menino.

63-64Zacarias escreveu numa tábua: “O nome dele será João”. A escolha surpreendeu a todos, e não foi a única surpresa: Zacarias recuperou a fala. Tudo voltou ao normal. E ele começou a falar, louvando a Deus!

65-66Um temor profundo e reverente tomou conta de todos, e em toda aquela parte das montanhas da Judeia não se falava em outra coisa. Todos os que ouviam a história ficavam pensando: “O que esse menino vai ser? Sem dúvida, a mão de Deus está com ele”.

67-79Então, cheio do Espírito Santo, Zacarias profetizou: “Louvado seja o Senhor; o Deus de Israel seja bendito; pois ele libertou seu povo aflito. A nós manifestou o poder de sua salvação, na linhagem de Davi, que o servia de coração, Tal como há muito havia prometido pela pregação dos seus profetas ungidos: Libertação nos concedeu de todo inimigo fatal e daqueles que nos dispensavam ódio mortal; Misericórdia trouxe aos nossos pais amados, pois se lembrou do que prometera no passado, O que jurou a Abraão, nosso antepassado — das mãos do inimigo, seríamos resgatados, Para que, livres do medo, o adoremos de verdade, e na sua presença vivamos em santidade. “E você, ‘Profeta do Altíssimo’, meu filho amado, o caminho do Senhor deixará preparado, Por ele o presente da salvação ao povo será dado, os seus pecados agora serão perdoados. Pela imensa misericórdia do Senhor, sobre nós nascerá o sol do seu amor, Que brilhará sobre os que vivem em trevas e em negridão, assentados na sombra da morte, em total escuridão. Por ele nossos passos serão guiados, pelo caminho da paz seremos levados”.

80O menino crescia, era saudável e cheio de vida. Morou no deserto até o dia em que se apresentou como profeta em Israel.