Provérbios

Capítulo: 10
OS SÁBIOS PROVÉRBIOS DE SALOMÃO - A VIDA HONESTA LIVRA DA MORTE CERTA

1O filho sábio é a alegria do pai; o filho insensato é a tristeza da mãe.

2Dinheiro de ganhos desonestos não leva a nada, mas a vida honesta livra da morte certa.

3O Eterno cuida de quem faz o bem, mas acaba com a ganância dos maus.

4A preguiça leva à pobreza, mas o trabalho diligente traz riqueza.

5Trabalhe enquanto o Sol brilha — isso é sensato! mas, se dorme enquanto outros trabalham, é pura estupidez!

6Quem é justo recebe chuva de bênçãos, mas o perverso abriga consigo a violência.

7O homem bom é lembrado com carinho — é pura bênção! mas o que foi mau logo é esquecido — é só podridão!

8O coração sábio aceita ordens e ensinamentos, mas o que não tem juízo perde o controle; fica em ruínas!

9A vida honesta é tranquila e segura, mas o malandro receberá o seu troco.

10Quem conspira para o mal causa desgosto, e quem fala com insensatez é arruinado.

11Quem fala com justiça é como fonte que dá vida, mas a boca do perverso é um poço de violência.

12O ódio causa divisões, mas o amor cobre as falhas.

13Quem tem entendimento fala com sabedoria nos lábios, mas quem não tem juízo merece a vara.

14O sábio acumula conhecimento — um verdadeiro tesouro — mas quem fala com insensatez fica completamente arruinado.

QUEM ACEITA A DISCIPLINA LEVA OS OUTROS À VIDA

15A riqueza do rico é a sua fortaleza, mas a pobreza do pobre é sua ruína.

16A recompensa do justo é a vida exuberante, mas o perverso apenas acumula castigo.

17Quem aceita a disciplina traz vida a outros, mas quem a ignora perde o rumo e os outros desencaminha.

18Quem esconde em si o ódio é hipócrita; quem espalha calúnias não tem juízo.

19Quando muito se fala, maior é o risco de pecar; por isso, o sábio mede bem suas palavras.

20O discurso do justo é digno de atenção, mas a mente do que é mau não vale nada.

21As palavras dos justos ajudam muitos, mas os insensatos morrem pela falta de juízo.

O TEMOR DO ETERNO PROLONGA A VIDA

22A bênção do Eterno torna rica a vida; o esforço humano nada altera nem acrescenta.

23O insensato se diverte ao praticar a maldade, mas quem tem juízo se alegra com a sabedoria.

24Os pesadelos do perverso se tornam realidade; o que os justos desejam lhes é concedido.

25Ao passar a tempestade, o perverso já era — simplesmente desaparece -mas o justo fica firme para sempre.

26O empregado preguiçoso não é alegria para seu patrão: é como um gosto amargo na boca e fumaça nos olhos.

27O temor do Eterno prolonga a vida, mas a vida do perverso é abreviada.

28As aspirações do justo acabam em festa; as ambições do perverso não dão em nada.

29O Eterno é amparo para os que praticam o bem, mas é desgraça para os que são maus.

30Nada pode abalar o justo, mas o perverso em breve desaparecerá.

31A boca do justo é uma fonte cristalina de sabedoria, mas a boca do insensato é um pântano de águas paradas.

32O justo sabe falar de coisas amáveis, mas o perverso só destila veneno.