Provérbios

Capítulo: 17
UMA PAULADA NA CABEÇA

1É melhor comer um pedaço de pão com água em paz que ter um banquete no meio de brigas.

2O servo sábio sabe lidar com o filho difícil e assim é honrado como alguém da família.

3Como a prata e o ouro são provados pelo fogo, assim a nossa vida é examinada pelo Eterno.

4O perverso gosta de conversas maliciosas; e os ouvidos do mentiroso coçam por uma fofoca.

5Quem zomba dos pobres insulta o Criador; quem faz festa quando há desgraça não fica sem castigo.

6Os netos são reconhecimento para os idosos; os filhos são orgulho para os pais.

7Não se espera eloquência de um insensato, muito menos mentiras de um líder.

8Alguns acham que o dinheiro compra tudo — até mesmo pessoas; e que o suborno é uma varinha mágica — que sempre funciona.

9Esqueça a ofensa e manterá a amizade; mas, se insistir na ofensa, diga adeus ao amigo!

10A repreensão atinge profundamente a quem tem entendimento, mas o insensato leva a maior paulada e nem se importa

11Os maus só procuram confusão e não perdem por esperar: eles a encontrarão!

12É melhor encontrar uma ursa que teve os filhotes roubados que um insensato em sua loucura.

13Quem paga o bem com o mal receberá o troco: o mal nunca lhe dará sossego.

14O início de uma briga é como vazamento de uma represa; por isso, é bom parar antes que se rompa de vez.

15Proteger o perverso e atirar lama nos justos são atitudes detestáveis ao Eterno.

16O que é isso? O insensato saiu para comprar sabedoria? De nada adianta! Ele não sabe o que fazer com ela!

QUEM SABE MUITO FALA POUCO

17O amigo ama sempre e com ele não há tempo ruim; mesmo quando há problemas, ele é sempre um ombro amigo.

18É tolice ser irresponsável com a vida financeira; acumular dívidas que não se pode pagar é muita loucura.

19Quem namora o pecado se casa com a confusão; e quem deixa a arrogância subir à cabeça faz um convite à destruição.

20Quem planeja a maldade não pode terminar bem; a conversa traiçoeira só traz mais confusão.

21O filho insensato é uma desgraça; não dá motivo nenhum de alegria ao pai.

22A disposição alegre faz bem à saúde; mas a tristeza e o abatimento esgotam as forças.

23O perverso recebe suborno por baixo do pano; isso comprova desprezo pela justiça.

24O sensato anda de mãos dadas com a sabedoria, mas o insensato está sempre vagando com olhar perdido.

25O filho inconsequente é um sofrimento para o pai e para a sua mãe é osso duro de roer.

26Castigar o bom comportamento é um absurdo! Pior ainda é fazer o bom cidadão pagar pelo crime dos outros!

27Quem sabe muito fala pouco; quem é sensato sabe manter a calma.

28Até mesmo os ignorantes passam por sábios quando fecham a boca; quem sabe ficar calado passa-se por inteligente.