Provérbios

Capítulo: 19
SE VOCÊ DEIXAR DE OUVIR

1É melhor ser pobre e honesto que ser rico e não merecer confiança.

2O zelo sem conhecimento é inútil; a pressa leva ao fracasso.

3As pessoas arruinam a própria vida com sua insensatez: mas sempre acham um jeito de pôr a culpa no Eterno!

4A riqueza atrai amigos como o mel atrai moscas, mas os pobres são evitados como uma doença que pega.

5O que jura com falsidade não ficará impune. Você deixaria um mentiroso sair ileso?

6São muitos os que andam à volta da pessoa generosa; todos são amigos do homem desprendido.

7Quando pra você está tudo dando errado, até a sua família evitará você — até mesmo o seu melhor amigo vai querer distância. Quando você passa, eles olham para o outro lado — longe dos olhos, longe do coração.

8Crie um coração sábio, e fará um favor a você mesmo; mantenha a cabeça arejada, e encontrará uma boa vida.

9A pessoa que conta mentiras acaba desmascarada; a pessoa que espalha boatos ficará arruinada.

10É estranho um leviano levar uma vida fácil; pior ainda, um trabalhador dar ordens a seu chefe.

11As pessoas inteligentes sabem como segurar a língua; sua grandeza é perdoar e esquecer.

12Os líderes de mau gênio são como uma onça brava; já os bondosos são como o orvalho fresco da manhã.

13Um pai perde a vontade de viver por causa de um filho insensato; a esposa resmungona é uma torneira pingando.

14Casas e terrenos são passados de pai para filho, mas a esposa certa vem do Eterno.

15A vida desmorona sobre os ociosos; os preguiçosos acabam passando fome.

16Guarde as leis e guardará sua vida; o viver descuidado é morte certa.

17Quem ajuda os pobres empresta ao Eterno, quando o Eterno devolve a recompensa, é sem igual.

18Discipline seus filhos enquanto ainda tem oportunidade; fazer tudo o que querem acabará com a vida deles.

19Deixe que os esquentados sofram as consequências da própria ira; se você tentar ajudar, apenas irá piorar as coisas.

20Aceite os bons conselhos e a correção — esse é o caminho de uma vida boa e sábia.

21Os homens fazem planos e criam estratégias, mas o propósito do Eterno é o que prevalece.

22É absurdamente normal querer ganhar uma grana, mas é melhor ser pobre que mentiroso.

23O temor do Eterno é a vida em si; uma vida plena e serena — sem surpresas desagradáveis.

24Alguns enfiam o garfo na torta, mas têm preguiça demais para levá-lo à boca.

25Castigue o insolente de maneira exemplar: quem sabe alguém aprende uma boa lição?

26Os filhos que partem pra cima dos próprios pais são uma desgraça, uma vergonha.

27Se você deixar de ouvir, querido filho, e andar sozinho, logo se sentirá perdido.

28O testemunho sem princípios faz pouco da justiça; a boca dos perversos cospe malícias.

29O irreverente precisa aprender a ter reverência do jeito mais difícil; só uns bons tapas chamam a atenção do insensato.