Provérbios

Capítulo: 30
PALAVRAS DE AGUR BEN JAQUE - DEUS: QUEM PRECISA DELE

1-2O cético afirma: “Não há Deus! Não há Deus! Posso fazer o que quiser! Sou mais animal que humano; a inteligência humana me escapa.

3-4“Reprovei em ‘sabedoria. Não vejo nenhuma evidência de um Deus santo. Quem já viu alguém subir ao céu e assumir o controle, capturar os ventos e controlá-los, reunir as chuvas num balde ou demarcar os limites da terra? Apenas me diga o nome dele ou os nomes dos seus filhos. Vamos, diga-me!”

5-6O fiel responde: “Todas as promessas de Deus dão prova disso; ele protege todos os que lhe pedem socorro. Então, não o critique; ele bem pode testar você e desmascarar suas mentiras”.

7-9Em seguida, o fiel ora: “Deus, peço duas coisas antes de morrer, não me recuses: Elimina a mentira dos meus lábios e os mentirosos da minha presença. Dá-me alimento suficiente para viver — nem muito nem pouco. Se tiver muito, posso pensar que dependo só de mim e dizer: ‘quem precisa de Deus?’. Se tiver pouco, posso vir a roubar e assim desonrar o nome do meu Deus”.

10Não denuncie seus companheiros de trabalho pelas costas; Eles o acusarão de ser dissimulado, e você será culpado!

11Não amaldiçoe seu pai nem deixe de abençoar sua mãe.

12Não pense que você estará purificado depois de uma semana sem ser lavado.

13Não seja arrogante: nunca pense que é melhor que todos os outros.

14Não seja ganancioso, impiedoso nem cruel, como os lobos. Eles perseguem os pobres e se alimentam deles, destruindo o necessitado apenas por diversão.

QUATRO COISAS INSACIÁVEIS

15-16O parasita tem filhas gêmeas chamadas Me Dá e Quero Mais. Três coisas nunca estão satisfeitas; ou melhor, há quatro que nunca dizem: “Já basta, obrigado!” —- a morte, o útero estéril, a terra ressecada, a floresta em chamas.

17O olhar que desdenha o pai e despreza a mãe Será arrancado pelos corvos e consumido por águias novas.

QUATRO MISTÉRIOS

18-19Três coisas me maravilham; ou melhor, há quatro coisas que eu nunca entenderei — como a águia voa tão alto no céu, como a cobra desliza sobre a rocha, como o navio navega pelo oceano, como os adolescentes namoram.

20A prostituta age assim: Toma um banho e depois pergunta: “Quem é o próximo?”.

QUATRO COISAS INTOLERÁVEIS

21-23Três coisas são intoleráveis demais até mesmo para a terra; sim, quatro coisas balançam suas fundações — o faxineiro que vira chefe, o insensato que fica rico, a prostituta eleita “a mulher do ano”, a “namorada” que toma lugar da esposa fiel.

QUATRO PEQUENAS CRIATURAS

24-28Há quatro pequenas criaturas que são mais sábias que os sábios — as formigas — frágeis como são, ajuntam comida para o inverno; os coelhos — vulneráveis como são, fazem da rocha seu lar; os gafanhotos — insetos sem líder que, ainda assim, arrasam o campo como um exército treinado; as lagartixas — fáceis de capturar, mas que passam sem ser vistas pelos guardas do palácio.

QUATRO DIGNITÁRIOS

29-31Há três seres no mundo, quatro que impressionam por seu comportamento — o leão, rei das feras, não cede a ninguém; o galo, orgulhoso e imponente; o bode; o chefe de Estado em marcha triunfal.

32-33Se você é tolo o bastante para chamar atenção para você mesmo com ofensas e grosserias, Não se surpreenda se alguém fizer seu nariz sangrar. Leite batido vira manteiga; provocação vira briga.