Salmos

Capítulo: 107

1-3Oh! Agradeçam ao Eterno — ele é tão bom! Seu amor nunca termina. Vocês, libertos pelo Eterno, digam ao mundo, contem como ele os libertou da opressão E depois os ajuntou de todos os lugares, dos quatro ventos, dos sete mares.

4-9Alguns de vocês peregrinaram anos no deserto, procurando, mas não encontrando, um bom lugar para viver, Famintos e mortos de sede, Cambaleantes, à beira da exaustão. Então, no seu desespero, vocês clamaram ao Eterno, ele os livrou na hora exata. Ele pôs os pés de vocês numa estrada maravilhosa, que os levou a um lugar agradável de se viver. Por isso, agradeçam ao Eterno por seu maravilhoso amor, por sua misericórdia milagrosa para com os filhos que ama. Ele derramou filetes de água pelas gargantas secas; o sedento e o faminto conseguiram muita comida.

10-16Alguns de vocês foram trancados numa cela escura, cruelmente confinados atrás das grades, Punidos por desafiar a Palavra de Deus e por virar as costas ao conselho do Deus Altíssimo — Uma dura sentença, o coração triste, e nenhuma alma à vista para ajudar. Então, no seu desespero, vocês clamaram ao Eterno, e ele os livrou na hora exata. Ele conduziu vocês para fora da cela escura, arrancou as grades e os trouxe para fora. Portanto, agradeçam ao Eterno por seu maravilhoso amor, por sua misericórdia milagrosa para com os filhos que ama. Ele despedaçou as portas pesadas da prisão, quebrou as barras de ferro como a palitos de fósforos!

17-22Alguns de vocês ficaram doentes porque viviam uma vida torta, o corpo sentindo os efeitos do pecado. Vocês nem podiam olhar para a comida. Eram tão miseráveis que achavam melhor a morte. Então, no seu desespero, clamaram ao Eterno, e ele os livrou na hora exata. Ele proferiu a palavra que os curou, que os afastou da beira do abismo. Então, agradeçam ao Eterno por seu maravilhoso amor, por sua misericórdia milagrosa para com os filhos que ama. Ofereçam sacrifícios de ações de graças, contem ao mundo o que ele fez — e em voz alta!

23-32Alguns de vocês zarparam em grandes navios; lançaram-se ao mar para negociar em portos distantes. Em alto mar, viram o Eterno em ação, viram sua ação fascinante no meio do oceano: Com uma palavra, ele convocou o vento — uma tempestade colossal, ondas gigantescas! Vocês quase tocavam o céu e depois chegavam ao fundo, o coração entalado na garganta. Vocês giravam como um pião, cambaleavam como bêbados e não sabiam que fim teria aquilo. Então, no seu desespero, clamaram ao Eterno, e ele os livrou na hora exata. Ele silenciou o vento até restar um assobio, pôs focinheira nas grandes ondas. Vocês exultaram quando a tempestade desapareceu, e ele os conduziu a salvo de volta ao porto. Portanto, agradeçam ao Eterno por seu maravilhoso amor, por sua misericórdia milagrosa para com os filhos que ama. Cantem louvores bem alto quando o povo se ajuntar, louvem-no quando os líderes se encontrarem!

33-41O Eterno transformou rios em terras improdutivas, fontes de água em barro ressecado pelo sol. Deliciosos pomares se transformaram em superfícies alcalinas por causa da maldade do povo que vivia ali. Depois, ele transformou terras improdutivas em lagoas, terreno árido em fontes, Trouxe os famintos e os estabeleceu ali. Eles se mudaram — que lugar formidável para se viver! Semearam os campos, plantaram vinhas, e a colheita foi abundante. Ele os abençoou, e eles prosperaram muito: seus rebanhos nunca diminuíram. Os insultos, o mal e os problemas diminuíram quando ele amontoou desprezo sobre os príncipes e os mandou embora. Ele deu aos pobres um lugar seguro para viver, tratou cada família como ovelhas bem cuidadas.

42-43Os bons veem tudo isso e ficam felizes; os maus ficam mudos, paralisados no caminho. Se você for realmente sábio, pensará nisto outra vez: está na hora de apreciar o profundo amor do Eterno.