Salmos

Capítulo: 129
UM CÂNTICO DE PEREGRINAÇÃO

1-4“Eles me tratam com brutalidade desde que eu era jovem”, é a queixa de Israel. “Eles são rudes comigo desde que eu era moço, mas nunca conseguiram me humilhar. Como um agricultor faz arado na terra, abriram grandes feridas nas minhas costas. Então, o Eterno acabou com os perversos e livrou-se deles.”

5-8Oh! Que todos os que odeiam Sião rastejem na lama! Que sejam como grama em solo raso que murcha antes da colheita, Antes que os ceifeiros possam juntá-la, e colhê-la E que os vizinhos tenham a chance de dizer: “Parabéns pela maravilhosa colheita! Abençoamos vocês em nome do Eterno!”