Salmos

Capítulo: 14
UM SALMO DE DAVI

1Com azedume, dizem os soberbos: “Deus já era”. Suas palavras são gás venenoso, que contaminam o ar; eles envenenam Rios e céus; espinhos é o que produzem para vender.

2Do céu, o Eterno põe a cabeça para fora. E olha em redor. Procura alguém que não seja tolo — um único homem que deposite sua esperança em Deus; uma única mulher disposta a seguir a Deus.

3Mas ele volta de mãos vazias: não encontrou ninguém. Desorientadas, sem ter quem as pastoreie, As ovelhas se revezam no papel de pastor. Noventa e nove delas seguem sua companheira.

4Será que esses impostores não sabem o que os aguarda? Será que não percebem que não poderão se safar sem castigo? Eles tratam o povo como uma refeição rápida, e os estressados não têm nem tempo de orar.

5-6A noite de pesadelos está vindo sobre eles, pois Deus se põe do lado das vítimas. Você acha que pode interferir nos sonhos dos pobres? Não, você não pode, porque Deus torna os sonhos deles realidade.

7Existe alguém aqui que possa salvar Israel? Sim, Deus está aqui: o Eterno transforma a vida. Jacó, restaurado, pulará de alegria; Israel, restaurado, cantará e exultará.