Salmos

Capítulo: 143
UM SALMO DE DAVI

1-2Ouve esta minha oração, ó Eterno! Presta atenção no meu pedido! Responde-me: tu és reconhecido por tuas respostas! Age para comigo da maneira que achares melhor. Mas, por favor, não me arrastes para o tribunal! Nenhum ser vivo seria absolvido lá.

3-6O inimigo me perseguiu, chutou-me e me agrediu quase até a morte. Depois me jogou num buraco escuro, enterrou-me como um defunto naquela masmorra. Sentei-me, em desespero, o espírito se exaurindo, o coração pesado como chumbo. Então, me lembrei dos velhos tempos: recordei tudo que fizeste, ponderei sobre teu modo de agir. Estendi as mãos para ti, ansioso como o deserto pela chuva.

7-10Apressa-te com tua resposta, ó Eterno! Minha esperança está no fim. Não te desvies nem me ignores! Isso seria morte certa. Se me acordares toda manhã com o som da tua voz amável, dormirei cada noite confiando em ti. Aponta-me o caminho em que devo andar. Sou todo ouvidos diante de ti. Salva-me dos meus inimigos, ó Eterno: és minha única esperança! Ensina-me a viver para agradar-te, porque és meu Deus. Conduz-me por teu santo Espírito a pastagens tranquilas e planas.

11-12Mantém tua reputação, ó Deus! Dá-me vida! Por tua justiça, tira-me desta situação! Por teu grande amor, derrota meus inimigos! Afasta de vez os que me incomodam! E por que farias isso? Porque sou teu servo.