Salmos

Capítulo: 25
UM SALMO DE DAVI

1-2Minha cabeça está erguida, ó Eterno, bem erguida. Pois olho para ti, ó Eterno, Sem nenhuma vergonha.

3Eu me arrisquei por ti: Não me deixes em apuros agora. Nem permitas que meus inimigos me derrotem. Não abandones à própria sorte Os que se arriscaram por ti. Os traidores é que devem ser humilhados.

4Mostra-me como ages, ó Eterno! Ensina-me em teus caminhos.

5Toma-me pela mão, Guia-me pelo caminho da verdade. Tu és meu Salvador!

6Mostra onde estão os marcos da tua misericórdia e do teu amor, ó Eterno! Restaura os antigos limites!

7Esquece que já cometi os erros da juventude. Marca-me com teu sinal de amor. Planeja apenas o melhor para mim, ó Eterno!

8O Eterno é imparcial e justo. Ele corrige os mal orientados, Envia-os na direção certa.

9Ele estende a mão aos rejeitados, E os conduz passo a passo.

10De agora em diante, toda estrada em que vocês andarem Irá levá-los ao Eterno. Sigam as placas da Aliança; Leiam as instruções de seu mapa.

11Zela pela tua reputação, ó Eterno! Perdoa minha vida de maldade; Foi mesmo uma vida de muita maldade.

12“Com que se parecem os adoradores de Deus?” — pergunto. “Com flechas apontadas para o centro do alvo de Deus” é a tua resposta.

13Eles habitam um lugar promissor; Seus filhos herdarão uma fazenda próspera.

14A amizade de Deus é para seus adoradores; São esses em quem o Senhor confia.

15Se eu mantiver os olhos no Eterno, Não tropeçarei nos próprios pés.

16Olha para mim e me ajuda! Estou sozinho diante de um terrível problema.

17Meu coração e meus rins estão lutando um com o outro. Declara trégua para esta guerra.

18Olha para a minha vida de trabalho duro E remove esta tonelada de pecados.

19Estás vendo quantas pessoas Guardam rancor de mim? Vês quão ferozmente me odeiam?

20Não tires os olhos de mim; livra-me dos problemas. Não me decepciones quando eu correr para ti.

21Usa toda a tua habilidade para me manter inteiro: Espero ver teu produto acabado.

22Ó Eterno, dá descanso ao teu povo — uma folga, Senhor! Livra-o dessa maré de desgostos!