Salmos

Capítulo: 28
UM SALMO DE DAVI

1Não te finjas de surdo quando chamo por ti, ó Eterno! Se tudo que eu receber de ti for um silêncio ensurdecedor, É preferível estar na prisão.

2Quero que saibas do que estou precisando. Estou gritando por socorro Com os braços erguidos na direção do teu lugar sagrado.

3-4Não quero ser trancafiado na mesma cela com aqueles bandidos, Com aqueles que são servos da maldade em tempo integral. Eles falam o dia inteiro em “paz” e, depois, fazem hora extra para o Diabo. Eles devem pagar pelo que fizeram, porque são de fato maus. Retribui a eles as longas horas que passaram no seminário do Diabo, Sem esquecer do generoso bônus.

5Eles não fazem ideia de como o Eterno age ou do que ele é capaz. O Eterno os esmagará até virarem cascalho e depois se afastará das ruínas.

6-7Bendito seja o Eterno! Ele ouviu a minha oração. Provou que está do meu lado. E eu me arrisquei por ele. Agora pulo de alegria, canto em voz alta minha gratidão a ele.

8-9O Eterno é a força de seu povo, refúgio irrestrito para o líder escolhido. Salva o teu povo e abençoa a tua herança. Tem consideração por eles: Carrega-os nos ombros, como faria o bom pastor.