Salmos

Capítulo: 32
UM SALMO DE DAVI

1Considere-se afortunado, feliz mesmo: você que ganhou um novo começo e cuja ficha está limpa.

2Considere-se afortunado: o Eterno não tem nada contra você, e você não está escondendo nada dele.

3Quando guardei tudo para mim, meus ossos se transformaram em pó, minhas palavras eram gemidos intermináveis.

4A pressão nunca cessava, a ponto de todo o líquido do meu corpo secar.

5Então resolvi pôr tudo para fora. Eu disse: “Confessarei todos os meus pecados ao Eterno”. De repente, a pressão foi embora — minha culpa evaporou, meu pecado desapareceu.

6Com isso, cheguei a uma conclusão: todos temos de orar, porque, quando as represas arrebentarem e tudo inundarem, estaremos em terreno alto e sairemos ilesos.

7O Eterno é minha ilha de refúgio; ele mantém o perigo bem longe da praia, e os louvores são como um colar em volta do meu pescoço.

8Deixe-me dar uns bons conselhos a você, olhando nos seus olhos, falando diretamente a você:

9“Não seja teimoso como o cavalo ou a mula que precisam de freio e rédea para se manter no caminho”.

10Os que desafiam Deus estão sempre desorientados, mas os que confiam em Deus são amados em qualquer situação e lugar.

11Celebrem O Eterno! Cantem juntos — todos! Vocês, de coração honesto, não se calem!