Salmos

Capítulo: 37
UM SALMO DE DAVI

1-2Não se preocupe com os arrogantes nem deseje prosperar como os ímpios. Em breve, eles secarão como grama cortada e murcharão como flores ao sol.

3-4Faça um seguro com o Eterno e pratique o bem. Aproveite bem o que já é seu; que a verdade seja o seu alimento. Assim, você ficará perto do Eterno, e terá parte no que há de melhor.

5-6Abra-se completamente diante do Eterno, não esconda nada dele, e ele fará o que for preciso: Legitimará sua vida à vista de todos e como o sol do meio-dia declarará a sua inocência.

7Aquiete-se diante do Eterno, ponha tudo diante dele. Não se incomode com os que estão em ascensão, com os que pisam nos outros para subir.

8-9Refreie sua ira, jogue fora sua raiva, esfrie a cabeça — a ansiedade só piora as coisas. Bem antes que os desonestos venham à bancarrota, os que investem a vida em Deus terão sua recompensa.

10-11Antes que você perceba, os ímpios terão sumido. Você encontrará vazio o lugar em que costumavam estar. Agora são os simples que tomam conta dele, desfrutando uma enorme bonança.

12-13Os maus não suportam os bons, Obcecados, querem matá-los. Mas o Eterno não perde o sono por isso: para ele, os maus são uma piada sem graça.

14-15Os homens violentos brandem a espada, retesam o arco num gesto exibicionista. Estão lá fora para atacar traiçoeiramente o inocente, para agredir o bom homem que passeia tranquilo. Mas uma casca de banana os derruba de cara no chão. Um completo vexame.

16-17Menos é mais, e mais é menos: um justo dominará cinquenta ímpios, Pois os ímpios são um fracasso moral, mas os justos contam com a força do Eterno.

18-19O Eterno observa atentamente os cidadãos decentes: o que eles fazem não será esquecido tão cedo. Em tempos difíceis, eles manterão a cabeça erguida; mesmo com prateleiras vazias, eles estarão satisfeitos.

20Mas os que desprezam Deus desaparecem; os inimigos do Eterno serão eliminados — Rapados como videiras em época de colheita, diluídos como fumaça em ar rarefeito.

21-22Os ímpios pegam emprestado e não devolvem, mas o justo faz doações. O homem abençoado pelo Eterno consegue tudo no final; mas o mesquinho é afastado do caminho.

23-24O homem fiel caminha de acordo com o Eterno; ele é feliz, e seu caminho é conhecido pelo Eterno. Se cair, não ficará muito tempo no chão, porque se apoia no braço do Eterno.

25-26Antes eu era jovem e agora sou um velho de barbas grisalhas — mas nem uma única vez vi o homem temente a Deus ser abandonado, ou seus filhos perambulando sem rumo pelas ruas. Ele sempre tem para dar e emprestar, e seus filhos o deixam orgulhoso.

27-28Vire as costas para o mal; trabalhe pelo bem e não desista. O Eterno ama esse tipo de atitude e nunca abandona os amigos.

28-29Viva assim, e o sucesso está garantido, mas os indignos serão excluídos. Os bons são plantados em boa terra e têm raízes profundas.

30-31Os justos mastigam a sabedoria com prazer; a sua língua articula a virtude. Seu coração bombeia a Palavra de Deus como o sangue pelas artérias; seus passos são firmes e constantes.

32-33Os ímpios põem alguém a seguir o justo e fazem tocaia para matá-lo. Mas o Eterno, alerta, também está vigiando: os ímpios não conseguirão tocar nem mesmo num fio de cabelo dele.

34Espere confiante no Eterno; não abandone o caminho. Ele dará a você um lugar ao sol enquanto você observa o ímpio ser desbancado.

35-36Já vi ímpios inchados, coaxando baboseiras pretensiosas. Olhei de novo, e tudo que restava era uma bola furada e murcha.

37-38Observe a alma saudável, examine a vida correta. Há um futuro garantido para os íntegros. Mas o rebelde será logo descartado; a alma insolente estará num beco sem saída.

39-40A vida livre e espaçosa vem do Eterno; ele é nossa fonte de proteção e segurança. Aqueles, como nós, cuja força está no Eterno têm proteção contra o mal: quando corremos para o Eterno, ele nos salva.